MENU

| BR

Campus

Cursos

Programas Executivos

Programas Executivos

Paises

Guia de marketing digital para pequenas empresas

Guia de marketing digital para pequenas empresas
#Marketing
30 de abril - min de leitura

O marketing online tem uma enorme vantagem: é acessível! Aprenda como criar uma estratégia de marketing digital para pequenas empresas através desse guia desenvolvido por Tiago e Carolina Caramuru. A ideia que você precisava para o seu negócio pode estar aqui.


O mundo vive um momento de transformações aceleradas. Adaptar-se a mudanças nesse cenário desafiador é fundamental para a sobrevivência nos negócios, em especial, dos pequenos. Por isso falar sobre marketing digital para pequenas empresas é um tema necessário.

No Marketing Digital, a operacionalização de estratégias está vinculada a inúmeras ferramentas digitais desenvolvidas para atender às novas necessidades do mercado. Elas oferecem a oportunidade das empresas se aproximarem cada vez mais de seus clientes, identificando seus padrões de comportamento para realizar ações de comunicação mais segmentadas e assertivas. Além disso, dão acesso a métricas específicas que permitem ajustes rápidos com base em avaliações mais precisas.

A eficiência do Marketing Digital depende do conhecimento e do uso adequado dessas ferramentas digitais e da definição de objetivos claros a serem alcançados com a sua implementação nos processos da empresa. Por isso, antes de tudo, é preciso cuidar do planejamento.

Marketing digital para pequenas empresas: por onde começar?

Pelo básico: diagnóstico e planejamento. Vale para o marketing de empresas de todos os tamanhos, pois são recursos contínuos e cíclicos. 

O Marketing Digital revolucionou muitos aspectos do relacionamento com clientes e das estratégias de venda, mas algumas etapas do marketing tradicional continuam sendo indispensáveis. É o caso da análise da concorrência (benchmarking). A diferença é que agora você precisa acompanhar a presença digital das concorrentes, então:

1. Conheça a fundo o seu negócio e o de seus concorrentes.

2. Nunca ignore os passos e avanços da concorrência. É fundamental estar sempre alerta, pois quem não observa a concorrência, pode ser pego de surpresa.

3. Acompanhe continuamente as ações, a comunicação e o negócio dos seus concorrentes.

Nesse caminho, ao observar seus concorrentes, será necessário analisar:

- Presença: em quais canais estão presentes

- Produto: características técnicas, percepção de qualidade, vantagens e desvantagens

- Site: estrutura, conteúdo, usabilidade (desktop e celular), velocidade

- Redes Sociais Digitais: redes ativas, frequência de publicação, tipos de conteúdo, linguagem, total de seguidores e engajamento

- Atendimento: canais e velocidade de resposta em redes sociais digitais

- Reviews: Reclame Aqui, Youtube, Facebook e Google

- Condições comerciais: preço, parcelamento, desconto, frete e prazo de entrega

Monitorar a concorrência constantemente permite que se crie estratégias e diferenciais competitivos. Portanto, é recomendável:

- Seguir nas redes sociais

- Assinar newsletter

- Acompanhar preços, produtos e notícias

- Simular compras

- Acessar o site com frequência

Steve Jobs disse, a respeito da Apple: “Não temos que olhar a concorrência e dizer que vamos fazer melhor... Temos que olhar a concorrência e dizer que vamos fazer diferente”. É fundamental conhecer, monitorar e analisar a concorrência porque, a partir dessas ações, será possível identificar as oportunidades do mercado em que a sua empresa está atuando. Isso inclui a oportunidade de criar ações diferenciadas de Marketing Digital. 

Que vantagens o marketing digital traz para pequenas empresas?

Não há como negar: o Marketing Digital mudou completamente a forma como as empresas lutam pela atenção do público nos últimos anos. Agora é mais fácil promover uma marca na internet, mas isso significa que existe mais concorrência

Quanto antes sua empresa entrar no mundo digital de forma efetiva, maiores as chances de sucesso ao disputar um lugar ao sol. 

O Marketing Digital para pequenas empresas é uma vantagem por ser mais econômico e personalizado. Há muitas vantagens:

- Alcance expandido: a presença digital gera negócios com um número muito maior de pessoas porque permite que novos clientes encontrem a sua empresa.

- Baixo custo: ao contrário das campanhas tradicionais de publicidade voltadas para TV, rádio e mídia impressa, as campanhas de Marketing Digital têm um custo muito menor. 

- Alto retorno de investimento: O Marketing Digital oferece um retorno substancial sobre pequenos investimentos. Para tanto, é preciso que as campanhas sejam muito bem planejadas e bem direcionadas aos clientes certos.

- Maior engajamento: estratégias de Marketing Digital permitem que pequenas empresas permaneçam competitivas e relevantes, construindo relacionamentos com novos clientes por meio de diferentes canais de mídia digital.

- Fácil de medir, fácil de ajustar: os resultados do Marketing Digital são facilmente rastreáveis ​​e mensuráveis com ferramentas de métricas que permitem avaliar o quão eficaz uma campanha tem sido. Você pode obter informações detalhadas sobre o comportamento do seu público observando os acessos ao seu site e analisando suas diferentes campanhas digitais. O acesso rápido a métricas possibilita que se façam avaliações mais precisas e readequações das estratégias, ampliando consideravelmente o sucesso dos resultados das campanhas.   

- Segmentação precisa: ao refinar o perfil dos seus clientes, sua empresa poderá criar ações específicas para atingir os compradores ideais.

- Fidelização: ao desenvolver estratégias baseadas no comportamento e nas respostas dos clientes às suas campanhas digitais, você saberá exatamente como fortalecer sua reputação e criar uma forte ligação com eles.

- Taxas de conversão aprimoradas: seus clientes estarão a apenas alguns cliques de fazer uma compra. Ao contrário de outras mídias, que ao despertarem o desejo nos clientes, não oferecem a possibilidade de compra imediata. No Marketing Digital, a venda é mais rápida e facilitada.

Juntos, todos esses aspectos do Marketing Digital têm um grande potencial de gerar mais vendas.

É preciso investir muito dinheiro?

Como já vimos, o Marketing Digital é mais acessível para pequenas empresas e traz muitos benefícios. Com as ferramentas certas, você pode criar uma estratégia de baixo custo que exige uma pequena equipe para um grande alcance. 

Mas cuidado! Com o aumento acelerado na busca por presença digital, também surgiram falsos gurus sobre o tema. Apresentando abordagens simplistas e cases de sucesso maquiados, eles seduzem quem está começando com a promessa de lucro fácil e rápido. Por trás dessa aparente facilidade, omitem os riscos que existem em todo investimento porque não estarão por perto se o retorno prometido não se cumprir.   

Esteja consciente de que todas as vantagens do Marketing Digital vêm acompanhadas da necessidade de assimilar conhecimentos e experiência certos para realizar ações eficientes. Ferramentas, plataformas e tendências mudam rapidamente e é vital que os profissionais se mantenham atualizados, o que pode consumir algum tempo. 

O que compensa esse esforço é a possibilidade de ampliar exponencialmente a fidelidade à marca e impulsionar suas vendas online. Lembre-se de medir os resultados constantemente para garantir o retorno dos investimentos, tanto de custos quanto de tempo. Para não correr riscos desnecessários, é sempre melhor começar com os pés no chão.            

5 estratégias de marketing digital para pequenas empresas   

1. Otimização do Mecanismo de Pesquisa (SEO)

As chamadas “Search Engine Optimization”, ou SEO, são um conjunto de técnicas, ações e ferramentas que visam trazer visibilidade constante para a sua marca. A boa notícia é que são ações que você mesmo pode fazer sem custo.

Usando as SEO corretamente, você faz seu site, produto ou conteúdo escalar pontos e aparecer nos primeiros resultados de busca no Google quando os usuários pesquisam por palavras-chave específicas. Isso dá valor e relevância ao que você tem a oferecer. Estar bem posicionado nos resultados de busca é uma forma de obter tráfego orgânico e construir confiança.

SEO é sobre a intenção do usuário, produção de conteúdo e construção de links, tudo isso em torno das palavras-chave mais prováveis ​​de serem pesquisadas. Aprenda mais sobre seus clientes e tente pensar como eles. Como eles pesquisam um assunto ou produto no qual estão interessados? O que eles digitam? Aqui, a inteligência de dados é a chave para encontrar seu nicho e usar todo o conhecimento acumulado a seu favor.

2. Marketing de Conteúdo

Produzir conteúdo relevante, útil e atraente para promover sua empresa, além de ser uma ótima estratégia de SEO, é também uma excelente forma de construir identidade, personalidade e autoridade. 

O Marketing de Conteúdo é muito mais do que usar as palavras-chave certas. Envolve planejamento e compartilhamento de postagens, artigos, notícias, vídeos e qualquer tipo de assunto que seja do interesse do seu público.

Para empresas que não pretendem investir muito, o centro da estratégia deve ser um blog. Você pode compartilhar guias, tutoriais, dicas, e-books e tudo que considerar útil para ajudar o cliente a se aproximar do seu produto. A frequência é essencial, por isso comece com pelo menos 2 ou 3 postagens por semana. Lembre-se de que é fundamental ser honesto e oferecer informações confiáveis.

Quando uma marca começa a se tornar conhecida e ganha status de autoridade em um setor específico, ela fica na mente dos públicos. Mesmo que o consumidor não esteja comprando nada agora, ele se lembrará da marca quando chegar a hora no futuro.

3. Redes Sociais Digitais

As Redes Sociais Digitais como Facebook, Instagram, LinkedIn, Whatsapp etc. não são somente uma forma de divulgar e aumentar a visibilidade da marca, mas são, principalmente, um ótimo ambiente para empresas construírem relacionamentos qualificados.

O Marketing em Redes Sociais está focado na personificação da sua marca. O cliente tem a impressão de estar falando diretamente com a marca nas redes sociais. Por isso, é necessário ter alguém treinado na empresa, com a função de dialogar com as pessoas diariamente e abordar assuntos relacionados com o mesmo universo do seu negócio, pois redes sociais exigem interações constantes e acompanhamento de tendências. 

Caso não tenha equipe ou orçamento para isso, investir em ferramentas que automatizam as interações pode ser uma boa solução. Mesmo que o dinheiro seja curto, é o lugar certo para gastá-lo.

4. E-mail Marketing

Usamos o serviço de e-mail faz tanto que é difícil imaginar como seria trabalhar sem ele hoje em dia. É um dos canais de comunicação mais utilizados no mundo todo e, justamente por isso, ganhou status de estratégia de Marketing Digital. 

Basicamente, uma campanha com foco em e-mail marketing é composta por textos bem elaborados com conteúdo informativo, interessante e envolvente; um layout atrativo desenvolvido em HTML (para evitar que seu trabalho vá parar na caixa de spam) e uma lista de clientes em potencial que autorizam receber nossas mensagens. 

Eventualmente, elas irão conter ofertas com nossos produtos. Isso exige um planejamento baseado na jornada do consumidor, que antecipa os movimentos do lead do interesse até a decisão de compra, usando gatilhos baseados em ação e tempo.

Ao contrário das Redes Sociais, as campanhas de e-mail marketing não precisam do empenho diário de alguém para enviar e responder mensagens manualmente, pois elas se baseiam quase exclusivamente na automação. Essa é uma grande vantagem! 

Escolha uma boa ferramenta de automação, planeje os fluxos de e-mail e deixe o software trabalhar sozinho. Existem diferentes ferramentas de e-mail marketing disponíveis no mercado e algumas delas permitem que você experimente uma versão gratuita. Uma excelente opção de canal para orçamentos pequenos.

5. Anúncios 

Caso a sua pequena empresa disponha de orçamento para fazer anúncios na internet, vale a pena investir. Sua marca será encontrada com facilidade e rapidez pelos seus clientes em potencial. 

Defina como você vai utilizar seus recursos para mídia paga:

- Search Engine Marketing (SEM): O Google oferece uma técnica específica para anúncios patrocinados: o Google AdWords. O objetivo é fazer seus anúncios serem exibidos no topo dos resultados de busca. A forma mais usada é o custo por clique (CPC). O que significa que você paga somente pelos cliques feitos no seu anúncio.

- Redes Sociais Digitais: Expandir sua presença em redes como Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter e YouTube é uma ótima opção. Elas disponibilizam diferentes formas de fazer publicidade paga em suas plataformas, com possibilidade de segmentação de público.

- Banners: a forma mais antiga e mais conhecida de anunciar na internet.  Inserir publicidade em alguns sites com o intuito de chamar a atenção dos usuários pode ser uma opção, mas considere que hoje em dia há uma saturação de anúncios nos sites e isso pode ser um problema.

- Remarketing: um dos melhores métodos de publicidade na internet. Possibilita a criação de anúncios personalizados que serão exibidos para clientes em potencial que já visitaram a sua página, mas que não concluíram a conversão.

Por fim, é de grande importância que você meça o desempenho de suas campanhas pagas na internet em tempo real, analisando minuciosamente o que está alcançando bons resultados e o que não está, investigando o porquê e ajustando de acordo com a necessidade.

Faça a transformação digital da sua empresa na Digital House

Você sabia que pode começar a transformação digital da sua empresa na Digital House? Aqui desenvolvemos as principais habilidades digitais do mercado, transformando a sua equipe para um modelo mais ágil e veloz de trabalho, estimulando a sinergia e a colaboração entre as áreas.Nós já ajudamos mais de 70 empresas nesse processo! Essa é a sua oportunidade de crescer junto com a gente. Venha fazer a capacitação digital da sua empresa aqui :)

Leia mais no blog DH:

Análise preditiva: a busca pelas previsões de mercado

O que é data warehouse e quais são suas principais características

O dia a dia de um analista de dados: responsabilidades, ferramentas e dúvidas

E aí, já segue a gente no Twitter? Vem pra rede, vamos conversar sobre habilidades digitais! ;) 


Outras notícias

Confira quais são as carreiras que mais crescem no Brasil img
#UX
#Marketing
#Carreira
#Tecnologia
#Dados

Confira quais são as carreiras que mais crescem no Brasil

Antes de nos aprofundarmos nas carreiras que mais crescem no Brasil, não podemos deixar de considerar todo a realidade pandêmica que vivemos. Tanto o ano de 2020 quanto o atual são trampolins para que as habilidades digitais cresçam no mercado de trabalho, em um cenário onde a transformação digital passou a fazer parte da realidade da maioria das empresas.Neste artigo, você entenderá o porquê do aumento da tecnologia durante os últimos tempos e, em paralelo, quais as carreiras que mais crescem no mercado, para ficar de olho nas oportunidades.O futuro das carreiras que mais crescem no Brasil é a tecnologia!Nos últimos anos, o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) realizou uma pesquisa denominada Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023, a qual aponta que, nos próximos anos, as profissões ligadas à tecnologia crescerão ainda mais no mercado de trabalho da indústria.Com este cenário, mais de 10 milhões de profissionais precisarão de capacitações para estar preparados à onda de inovação que não para de crescer.Além disso, e/m outra pesquisa, o LinkedIn, rede social voltada para o campo profissional, também listou 15 carreiras que estarão em alta no Brasil a partir de 2020. No relatório, 13 dos 15 cargos estão ligados ao setor de Tecnologia da Informação (TI).Com todos esses dados, fica claro que o segmento tecnológico segue em ascensão, mesmo que a pandemia tenha gerado uma recessão no mercado de trabalho. As carreiras dentro do campo são posições estratégicas dentro das empresas, principalmente considerando a popularização da internet e de produtos digitais.O que esperar das carreiras em ascensão no pós-pandemia?Termos como home office, videoconferências, flexibilidade e “novo normal” passaram a ser introduzidos nos vocabulários das pessoas de uma hora pra outra, o que era uma realidade que parecia distante há pouco mais de um ano.E não pense que se trata de algo temporário. Muitas empresas pretendem manter o trabalho remoto, mesmo após a pandemia. Neste contexto, a Oi realizou uma pesquisa interna com participação de mais de 10 mil colaboradores, comprovando que o home office aumentou a produtividade dos funcionários, assim como trouxe uma economia de gastos para a empresa. Sendo assim, as organizações que investirem na transformação digital ganharão cada vez mais espaço e isso também reflete nas carreiras em ascensão durante e no pós-pandemia. Como ouvimos em diversos ditados populares, é em meio ao caos que grandes ideias surgem, ou seja, é necessário analisar as boas oportunidades que têm surgido.Quais são as 3 carreiras que mais crescem no Brasil?Agora que já explicamos a importância e a ascensão da tecnologia nos tempos atuais, saiba quais são as 3 carreiras que mais crescem no Brasil, dentro dessa vertente tão complexa. Confira:Tecnologia da InformaçãoEm um levantamento feito pela empresa PageGroup, foi constatado que seis profissões na área da Tecnologia de Informação tiveram aumento de procura durante a pandemia:- Analista de cyber security: atua no setor de segurança cibernética das empresas, protegendo de ataques e roubos na internet.- Líder de cyber security: profissional que lidera a equipe de segurança digital, por meio de metodologias ágeis e outras estratégias de gestão de negócios.- Analista de suporte e service desk: profissional que atua diretamente com problemas de redes, oferecendo soluções e realizando testes de usabilidade.- Especialista de infraestrutura e redes: esta pessoa dá todo o suporte, garantindo o bom funcionamento de softwares e infraestrutura de redes de uma organização.- Especialista em cloud: oferece soluções em nuvem quando se trata de conectividade, segurança e dados.- Líder em data science: profissional responsável por estruturar a estratégia da ciência e engenharia de dados em uma empresa.Marketing DigitalA internet já possui seu lugar permanente no dia a dia das pessoas e empresas e só tende a crescer cada vez mais. De acordo com a pesquisa "Tendências para o Marketing", da Adaction e Inflr, realizada entre abril e junho de 2020, 90% das empresas ampliaram os investimentos em marketing digital em detrimento de outros canais.Por esse motivo, os profissionais da área são constantemente requisitados e com grandes expectativas de crescimento. Inbound marketing, e-commerce, marketing de performance, conteúdo e SEO são alguns dos diversos setores em ascensão.UX e CXAs maiores empresas brasileiras do mercado têm ganhado espaço e notoriedade por conta do seu atendimento, usabilidade e experiência como um todo. Por este motivo, o mercado de UX e CX faz parte das carreiras que não param de crescer e prometem no futuro.O Nubank, por exemplo, se destacou diante dos grandes bancos tradicionais por investir em atendimento qualificado. Atualmente, é referência no setor e conta com um time de profissionais focados na experiência de seus clientes.Garanta o seu sucesso profissional em uma dessas carreiras!Ficou bem claro que as habilidades digitais estão dominando as carreiras que mais crescem no Brasil, não é mesmo? As empresas passam pelo processo de transformação digital para se manter firmes no mercado e, assim, determinadas competências se tornam cada vez mais necessárias para os profissionais.Uma pesquisa da Robert Half (empresa global de recursos humanos), levantou quais profissões se destacam em 2021 e a tecnologia faz parte da maioria delas.A Digital House oferece cursos que formam especialistas em todas as áreas e esferas digitais, por meio de aulas ministradas por professores que estão no mercado. Conheça os cursos de marketing digital, UX, dados, programação e negócios.Todos os nossos alunos podem contar com o apoio do Departamento de Carreiras, caso estejam pensando em mudar de profissão ou tenham dúvidas sobre as jornadas.Leia mais no blog DH:+ Escola de marketing digital: Conheça os cursos de marketing da Digital House+ Métricas de marketing: como defini-las em um plano de estratégia?+ Marketing digital para iniciantes: 10 dicas de como começar na carreira

O que é dashboard: O guia com tudo o que você precisa saber! img
#Dados

O que é dashboard: O guia com tudo o que você precisa saber!

O marketing digital é uma área imprescindível nas empresas para a prospecção de clientes e impulsionamento de resultados. Dentro desse campo, as campanhas são métodos muito eficientes, pois focam no anúncio para um público-alvo específico, recebendo um retorno maior sobre seu investimento. Hoje veremos o que é dashboard e como essa ferramenta pode ser útil para a visualização de informações importantes nas campanhas de marketing.Quando uma organização quer entender instantaneamente como uma campanha de marketing está desempenhando, ao invés de analisar diversas planilhas, levando horas ou até mesmo dias para chegar a uma conclusão, é mais fácil e ideal utilizar um dashboard.Eles são ótimos meios visuais de auxílio para otimização e aumento da velocidade em processos de tomada de decisão. Com a coleta e a análise de dados, organizada da melhor maneira no dashboard, você consegue entender tudo o que está acontecendo.Confira, a seguir, o guia sobre essa tecnologia, entenda as vantagens em criar um dashboard, veja 3 tipos diferentes e como utilizar cada um deles em um processo. Preparado? Então pegue um café, ajeite sua poltrona e acompanhe!O que é dashboard e para que serve?Em português, a palavra dashboard significa painel de controle. Dashboard é uma ferramenta de gestão de dados, que auxilia na exibição de métricas, que indicam como um processo, campanha ou a saúde de um negócio está se desenvolvendo.Provavelmente, você já ouviu a expressão: “informação é poder”, não é mesmo? No mundo corporativo, essa frase faz todo o sentido, principalmente se pensarmos no momento que vivemos, a Era Digital.No entanto, com o excesso de informação gerado constantemente, o processo e a análise são dificultados, levando horas, dias e até meses, se realizados em um processo tradicional.Um dashboard é composto de números, tabelas, textos e gráficos, que representam o detalhamento de todas essas informações complexas de maneira simplificada e organizada, auxiliando as empresas na tomada de decisões e acompanhamento de metas de forma rápida e fácil.Além disso, ele pode ser utilizado por qualquer área, para as mais diversas finalidades, pois é customizável. Para que o dashboard funcione da melhor forma, precisa estar conectado aos servidores de dados da empresa.Vantagens em criar um dashboardSaber o que é dashboard é entender que ele é a maneira mais eficiente de acompanhar diversas fontes de dados ao mesmo tempo, em tempo real (ou não) e em um único local. Confira as principais vantagens:Auxilia na tomada de decisãoO processo de tomada de decisão fica mais simples através do uso dos dashboards, que centralizam todos os dados em uma fácil visualização e compreensão, possibilitando a compreensão ampla do negócio, sejam nas atividades, investimentos, KPIs, prazos, estoque, entre outros indicadores.Otimização de tempo e recursosA visualização por dashboards otimiza o tempo para a tomada de decisão, evitando trabalhos demorados com organização de dados, além de poupar o uso de ferramentas ou softwares complexos de gerenciamento de projetos.Prevenção de riscosA distribuição organizada dos dados de um projeto no dashboard proporciona, além das oportunidades de insights, a detecção de riscos não visualizados no decorrer do planejamento de todo o processo ou até mesmo entender a real gravidade de um problema subestimado anteriormente.Integração e transparênciaAs pessoas que acham que um dashboard é útil somente para os gestores, estão totalmente enganadas. Muitas empresas já expõem seus painéis com os processos de negócio em lugares estratégicos da organização, para que possam ser visualizados por todos os funcionários e até clientes.Em uma gestão de projetos, é essencial que tanto os líderes quanto suas equipes tenham acesso aos indicadores e resultados da empresa, para manter a transparência das informações e a construção colaborativa, em que todos participam com o máximo de comprometimento para o bem do negócio.Além disso, o dashboard tem o objetivo de facilitar a comunicação interna entre todos os profissionais, garantindo maior integração entre departamentos e fornecendo uma visão mais detalhada para o crescimento da organização.3 tipos diferentes e como utilizar cada umComo comentado, é possível criar diferentes tipos de dashboards. Eles podem ter perfis diversos de público, inclusive os mais técnicos, com foco no desempenho de uma parte de um processo organizacional ou de gestão, por meio de um resumo dos indicadores a serem acompanhados, para que a empresa cresça cada vez mais.Sendo assim, na sequência, explicaremos três tipos diferentes para serem colocados em prática. Confira abaixo:Dashboard OperacionalComo o próprio nome já diz, esse dashboard contém os dados referentes às operações de uma empresa. Ele é utilizado por gestores e pessoas que desejam acompanhar e analisar o desempenho de processos organizacionais, como os anúncios de marketing.Dashboard​ TáticoEsse tipo de dashboard apresenta indicadores para se tomar decisões em uma empresa, principalmente para objetivos de médio prazo, avaliando a eficácia ou erros de uma estratégia (por isso o nome "tático'') aplicada pela organização.Dashboard EstratégicoJá neste tipo de dashboard, os indicadores são importantes para a validação de um planejamento de estratégias, visando o crescimento de uma empresa. O objetivo é que as informações sejam comparadas com o registro histórico, para entender o processo de evolução dos resultados da organização.As métricas de vendas e do financeiro são os dados mais essenciais nesse tipo de dashboard, possibilitando a identificação de erros ou melhorias para aplicação em um plano de ação.Como criar um dashboard no Excel?Nós já publicamos um artigo, explicando passo a passo como criar um dashboard no Excel, mostrando o quão fácil, simples e intuitivo é a ferramenta para a organização e visualização de dados. No entanto, hoje vamos explicar o que é necessário antes de colocar a mão na massa. Confira abaixo:Defina o objetivo e o público-alvoQual é a finalidade desse dashboard? É necessário fazer essa pergunta inicialmente e ter definido qual será o público-alvo. Isso deve ser feito para que o painel não se torne uma mistura de dados sem um consenso, algo que ninguém entende e uma ferramenta sem utilidade.Analise quais tarefas fazem parte do processo organizacional e, assim, defina quais métricas e indicadores serão incluídos no dashboard, além das pessoas que terão acesso, de acordo com seus papéis na empresa.Escolha o tipo de dashboardCada tipo de dashboard possui um determinado propósito. Portanto, é essencial que, desde o início do desenvolvimento, todos os objetivos sejam definidos para que seja realizada a melhor escolha.Fazer benchmarking é uma ótima opção nesse processo, procurando saber como outras empresas, sejam elas concorrentes diretas ou não, estão visualizando seus dados, que tipos de gráfico costumam usar e como dividem os painéis para cada setor da empresa.Organize as informações e escolha o que interessaUm bom dashboard representa diferentes dados agrupados de forma lógica. As informações financeiras devem estar juntas em uma tela, assim como dados de marketing e vendas devem estar em outra, e assim por diante.Com todos os dados, métricas e indicadores agrupados, filtre-os no que são relevantes para o público-alvo. O objetivo é deixar o dashboard objetivo, com visualização fácil, para uma utilização mais eficaz. Se houver excesso de dados, o sentido da ferramenta será totalmente perdido e o painel ficará poluído.Preocupe-se com a atualização dos dadosO gestor ou analista que cuida do dashboard deve certificar-se de que tudo está sendo atualizado no intervalo correto de tempo. Em diferentes casos ou situações, dependendo da necessidade, não é preciso um painel com atualizações em tempo real, mas pode ser por hora, dia, semana, mês, bimestre ou mais!Por que é importante capacitar os usuários de dashboards? Como explicamos previamente, é muito importante definir quem serão as pessoas a interagir com o dashboard, dependendo do seu papel na empresa e podendo ser de diferentes áreas.Nem sempre todas elas entendem sobre a ferramenta, suas funcionalidades e benefícios. Além disso, aprender algo novo em um trabalho, ou até mesmo na vida, traz muitos desafios.O Excel, por exemplo, é uma ferramenta vista como um bicho de sete cabeças, mas, na verdade, suas fórmulas, atalhos e funções, como o exemplo do dashboard, facilitam o dia a dia de muitos profissionais no mundo corporativo, além de ser uma habilidade com grande diferencial para o profissional no mercado de trabalho.Para garantir que todos se engajem com o sistema e a ferramenta da melhor forma possível, é importante investir em treinamentos e capacitações. Independentemente do software escolhido para construir os dashboards, todas as pessoas que participaram de seu desenvolvimento também devem ajudar em sua implementação.Que tal ser um especialista em dados e dashboards?Agora que você sabe o que é dashboard e seus principais benefícios para uma empresa, também deve ter em mente que, devido à ascensão dos meios digitais, as estratégias de marketing, principalmente as ligadas às performances de processos organizacionais, são cada vez mais essenciais para mudar o rumo e impulsionar os resultados das companhias.Possuir uma certificação é uma chave e um grande diferencial para conseguir ingressar na carreira de dados de maneira assertiva, pois ele prova que o profissional possui uma base sólida de conhecimento.Que tal se inscrever no curso de Data Analytics da Digital House? Aprenda as habilidades necessárias na coleta e análise de dados, incluindo a construção e entendimento de dashboards, por meio do uso de diferentes ferramentas, como o Excel, Google Analytics e outros!As aulas são dinâmicas, 100% ao vivo e ministradas por grandes profissionais especialistas do mercado. Além disso, todos os alunos também podem realizar o curso de Gestão de Carreira gratuitamente durante o seu curso e participar de feiras de recrutamento exclusivas (Recruiting Day).Garanta a sua ascensão profissional no futuro! Confira também a nossa biblioteca de conteúdo e o Blog DH, com outros materiais de conteúdos ricos sobre tecnologia e marketing digital.Leia mais no blog DH:+ Análise preditiva: a busca pelas previsões de mercado+ O que é data warehouse e quais são suas principais características+ O dia a dia de um analista de dados: responsabilidades, ferramentas e dúvidasE aí, já segue a gente no Twitter? Vem pra rede, vamos conversar sobre habilidades digitais! ;) 

UX do mal: 5 exemplos de dark patterns para ficar de olho img
#UX

UX do mal: 5 exemplos de dark patterns para ficar de olho

Nessas situações, como o exemplo acima, o checkbox desses programas indesejados já está marcado, na maioria das vezes, ao iniciar o processo de instalação. Caso o usuário não leia as mensagens com atenção, acaba aceitando os termos com softwares adicionais. Mas será que isso acontece de propósito? O que são dark patterns neste contexto? Acompanhe para entender o porquê de tudo isso.O que são dark patterns?Dark patterns são direcionamentos intencionais, para que o usuário faça algo que não faria naturalmente. As empresas que utilizam desse método constroem interfaces para manipular comportamentos de seus clientes em benefício próprio.Este é um tema muito polêmico na área de UX, pois a organização usa o design de uma interface, que não é de compreensão plena de seus clientes, para enganá-los, deixando de lado a experiência do usuário em prol do aumento potencial de suas vendas.Um CTA, por exemplo, pode ser um dark pattern, dependendo de seu contexto. Muitas organizações oferecem a "compra com apenas um clique" como algo bacana para quem não tem tempo, mas o real motivo é o aumento das vendas por atos impulsivos.Imagine o contexto de pessoas que agem sem pensar, sem saber se possuem condições financeiras para realizar compras. Ao cair nessas interações, a situação pode se tornar muito prejudicial na vida delas. Isso é algo muito mais comum do que se imagina. Acontece em lojas, aplicativos, jogos, entre outros milhares de sites.UX do mal: por que você precisa aprender sobre eles?Se você possui interesse em ingressar na área de experiência do usuário, sem dúvida, deve ter ciência da existência de dark patterns e um lado UX do mal. Por que você precisa aprender sobre eles?Ao desenvolver projetos de novos produtos, o objetivo principal é oferecer a melhor experiência ao usuário. E o uso de dark patterns envolve questões como ausência de ética e responsabilidade, imprescindíveis para um bom profissional de UX.Geralmente, as empresas que aplicam dark patterns usam a desculpa de que "todo mundo faz assim para vender mais”. No entanto, cada um deve possuir sua individualidade e planejar suas estratégias de UX, de acordo com seus objetivos, público-alvo e necessidades.O método pode até trazer números, mas ao se colocar no lugar da pessoa que será afetada, pense: como será a experiência dela? Atinge realmente os princípios da empresa?Este questionamento deve estar sempre presente ao ponderar as ações. UX envolve viabilidade, usabilidade e engenharia, pensando no usuário, e o design por si próprio não possui grande valor sem esses fatores.5 exemplos de dark patterns para evitarEles estão por toda parte e não é somente no campo virtual/web que isso acontece. Confira 5 exemplos de dark patterns para evitar em um processo de UX:Desvio intencionalEste é um exemplo em que um usuário escolhe a opção mais cara disponível em uma compra, por exemplo. Isso acontece porque a alternativa mais barata aparece de uma maneira sutil e a opção oposta ocupa uma posição de destaque na página. Ou seja, a empresa provoca um desvio intencional ao seu cliente.Todas as opções devem estar visíveis em uma interface, assim como as vantagens e desvantagens de cada uma delas.Cancelamento de inscrição invisívelSabe aqueles e-mails automáticos que recebemos com ofertas ou notícias de determinada marca? Todos os usuários têm o direito de escolher se quer ou não receber, de fato, esses e-mails. Neste contexto, a opção de cancelamento deve estar presente em todos eles.As empresas podem aproveitar o momento do cancelamento para colher feedbacks, a fim de entender onde a estratégia desses fluxos está falhando.SpamO spam é uma dor de cabeça para muitas pessoas! Existem aplicativos, por exemplo, que induzem uma ação, mas ao clicar na atividade proposta, o usuário envia várias mensagens aos seus contatos pessoais, como uma forma de prospectar e sem o seu consentimento.Dificuldades de cancelamentoEste é um exemplo muito comum em serviços de assinatura. Existem empresas que oferecem funções pagas em um período de 7 dias gratuitamente, por exemplo, mas quando o usuário decide cancelar antes do término desse prazo, acaba encontrando dificuldades e, muitas vezes, um valor de cobrança é gerado.A situação é ainda pior quando, ao encontrar a opção de cancelamento, o botão de desistir aparece “timidamente” na interface, enquanto o de continuar com a assinatura aparece em destaque, induzindo que o cliente clique "sem querer" no botão errado.Expansão do carrinho de comprasEste exemplo consiste em um item a ser adicionado no carrinho de compras de um usuário, sem o seu consentimento ou quando o valor de um produto muda ao realizar o pagamento, pois na interface inicial não havia a indicação de impostos.Seja um profissional de UX!O que achou de aprender sobre dark patterns em um desenvolvimento de produto? Ficou mais claro que um bom profissional de UX Design deve trabalhar de forma ética, sempre lembrando que a projeção é para as pessoas, que são o centro de tudo.A usabilidade é um fator essencial e fundamental, para que sua empresa passe longe dos dark patterns e obtenha ótimos resultados de venda, assim, uma formação em UX pode ser a chave para obter sucesso em seus negócios.Na Digital House, temos o curso de Experiência do Usuário (UX). Além de ensinar o processo como um todo, a DH permite que os alunos aprendam todos os princípios de uma boa usabilidade, garantindo o melhor desenvolvimento de produto. Inscreva-se agora mesmo!Leia mais no blog DH:+ Entenda quais são os tipos de UX Research+ Etnografia no UX: como entender a relação do consumidor com produtos e serviços+ Prototipagem: 5 ferramentas de prototipação que você precisa conhecerE aí, já segue a gente no Twitter? Vem pra rede, vamos conversar sobre habilidades digitais! ;)