MENU

| BR

Campus

Cursos

Programas Executivos

Paises

Conheça a área de UX Research, sua dinâmica e importância das pesquisas com usuários

Conheça a área de UX Research, sua dinâmica e importância das pesquisas com usuários
#UX
29 de junho - min de leitura

O profissional de UX Research é o dono das entrevistas e pesquisas com usuários, praticando uma imersão completa no produto ou serviço para coletar dados valiosos. Que tal conhecer mais sobre esta área?


Muitas pessoas não entendem ao certo o que faz um profissional especializado em UX Research. Mesmo assim, esta área, dentro de UX, está evoluindo a cada vez mais.

Aliás, se você ainda fica meio perdido nas diferenças entre as áreas de atuação da profissão, entenda melhor neste infográfico sobre as áreas do UX, com explicação de características e definições práticas.

Segundo o Infomoney, esse mercado está em plena ascensão, com salários de até R$ 12 mil no Brasil. Isso se justifica pelas transformações nos padrões de consumo, fazendo com que a experiência de compra tenha muito mais relevância para o consumidor.

Muitas vezes, um ambiente acolhedor pode ser mais importante que o preço na tomada de decisão do usuário. Acompanhe o artigo e conheça mais sobre a pesquisa na área de UX, esse campo profissional de imersão no que realmente satisfaz os consumidores.

UX Research - a pesquisa imersiva

As principais características que um profissional de UX Research são curiosidade e capacidade de imersão em diferentes contextos e clientes, por meio dos olhos da pessoa pesquisada.

Dentro das atribuições de um UX Researcher, o conhecimento em diversas metodologias de pesquisa é muito importante, pois este profissional precisará planejar seu método, definindo objetivos e o escopo do projeto.

Entre suas ferramentas do dia a dia, poderá trabalhar na condução de pesquisas, com aplicação de questionários qualitativos e quantitativos, assim como a prática da observação em campo e a análise dos dados coletados. 

Na prática, o profissional de UX pode estruturar sua pesquisa pelas seguintes fases: 

➜ Descobrimento: falar com pessoas mais experientes do ramo, envolver os stakeholders nesta conversa, procurar fontes de dados;

➜ Exploração: análises competitivas, revisão do design, reconstrução da persona, análise de tarefas, mapeamento da jornada do usuário, pensamento pluralista, feedback do protótipo e teste, classificação dos pontos a serem analisados;

➜ Teste: testes qualitativos de usabilidade, pesquisa teste (para treinamento), verificação de alcance de usuários, monitoramento das redes sociais, análise de posts nos canais da empresa, teste de benchmark, testes de instruções e de ajuda; 

➜ Escuta: estudo dos resultados das pesquisas, olhar analítico nesta revisão,verificar bugs de usabilidade, análise dos processos de busca, revisão da FAQ do site, conferência, abrir espaço para o debate sobre estes resultados e futuros direcionamentos de melhoria.

A partir deste panorama, destacamos quatro informações interessantes que você precisa saber para identificar um profissional da área. São elas: 

1 - O conceito: UX Research é a área que estuda e pesquisa padrões de comportamento dos usuários e suas mudanças de consumo;

2 - Características principais:  pesquisar as possibilidades de mudança nas estratégias e direcionamento dos próximos passos do processo, com muita curiosidade e observação, captada de várias maneiras;

3 - Ferramentas para seu desenvolvimento: desk research, pesquisa quantitativa e qualitativa e etnografia;

4 - Em que ele contribui? Munindo as demais equipes com dados e informações que possam trazer mais previsibilidade ao projeto.

UX Research é para você?

Até aqui, você já entendeu que a pessoa de UX Research precisa entender o negócio do cliente a fundo para que este processo de imersão resulte lá na frente, em uma excelente entrega.

O Design Thinking é um grande aliado quando este profissional já conhece previamente o cliente e seu negócio já que traz muitas ferramentas que externalizam informações importantes por meio da co-criação e da experimentação, o que se torna uma espécie de facilitador entre UX Researcher e stakeholders.

Se você se interessou em ir mais a fundo nesta especialização, saiba que um curso de UX Design que explora a área Research pode revelar o lado de User Experience que você não conhecia e que se identifica.

Na Digital House, com os melhores professores do mercado e por meio do método ideal de ensino, você vai desenvolver esta skill,  aprendendo a desenhar e validar linguagem digital, padrões de design e interação, análise heurística, prototipação, testes de usabilidade, métricas e KPI’s, além de fundamentos de Desk Research, pesquisas, etnografia e muito mais.

Confira as novas turmas e torne-se um profissional de UX ainda este ano. 

+ Conheça as aulas 100% ao vivo de dinâmicas da Digital House

Outras notícias

Growth Hacking: o que é e como a estratégia de hacking de crescimento funciona img
#Marketing

Growth Hacking: o que é e como a estratégia de hacking de crescimento funciona

Desenvolvido pelo empreendedor americano Sean Ellis, toda empresa precisa saber o que é growth hacking. Ao pé da letra, o termo pode ser definido como o “marketing orientado a experimentos”. Independentemente do tamanho e segmento da empresa, todas têm um objetivo em comum – fazer o seu negócio crescer. Afinal, ninguém entra em campo para perder.Quando tratamos de experimentar, não significa que vamos “acertar no chute”, pois toda ação deve ser pensada estrategicamente, visando o crescimento sustentável a partir dos pontos deficientes. Growth Hacking: para aplicar, tenha em mente hipóteses.O growth hacking segue essa linha em três passos: formula as hipóteses, realiza os testes e descobre as oportunidades reais no mercado para desenvolver estratégias e acelerar o negócio da empresa diante da concorrência.Diferentemente de outras técnicas de marketing, o growth hacking é orientado pelos Key Performance Indicators (KPIs), para atingir o objetivo proposto. Como Growth Hacking funciona na práticaPodemos chegar a dizer que estratégias de growth hacking são “brigas contra o tempo”, pois há um sentimento de fazer tudo no menor tempo e custo possível, por meio de experimentos que validem as hipóteses criadas. Porém, essa agilidade exige uma equipe preparada e investimento em ferramentas que possibilitem experimentos e automações para encontrar as melhores soluções. Para sintetizar o processo do growth hacking, podemos resumi-lo em quatro etapas:1. Defina um objetivo;2. Crie hipóteses;3. Faça testes que comprovem as hipóteses;4. Utilize ferramentas de teste, analytics e automação.Com o growth hacking, não existe “acertar no escuro”. Antes do advento do digital, muitas empresas investiam uma fortuna em mídia off, mas sem saber o retorno que aquela veiculação de propaganda na televisão traria ao seu negócio. O growth hacking ajuda no crescimento das empresas por um motivo bem simples. Antes da estratégia ser aplicada, ela passou por experimentos e foi “metrificada”. Vantagens do growth hackingJá discutimos a respeito do conceito de growth hacking, inclusive já mostramos um dos seus benefícios. Separamos agora mais 4 benefícios desta estratégia de crescimento tão utilizada por startups:Crescimento rápidoVimos que o objetivo é crescer exponencialmente e o mais rápido possível. O growth hacker é o profissional responsável por analisar diversas áreas da organização, propor melhorias e ganhar mercado. É primordial que as estratégias tenham custos baixos e sejam criativas. Ambas as exigências são desafios inerentes do cotidiano de qualquer startup.Escalabilidade Falar sobre crescimento da empresa sem associar com aumento de receita é impossível. Os custos operacionais podem até aumentar, mas não pode sobressair ao retorno ganho.PrevisibilidadeUma das grandes vantagens é a mensuração de resultados, pois esse profissional consegue prever o que pode acontecer em determinado período, com base no histórico de transações e nos dados armazenados.ViralizaçãoAbuse das técnicas de viralização, como a indicação aos amigos por meio das mídias sociais. Isso faz com que a empresa seja reconhecida no mercado de forma mais rápida e com um investimento bem menor.Quer se tornar um growth hacker na área do marketing? Conheça os cursos da Digital House: Marketing Digital, Marketing Digital Avançado e Gestão de Marketing Digital.

Inovação nos negócios: como reinventar sua empresa e sobreviver às crises img
#Marketing

Inovação nos negócios: como reinventar sua empresa e sobreviver às crises

Neste momento atípico que vivemos, onde a dimensão da transformação digital ganha mais sentido, a pergunta é: como reinventar sua empresa e sobreviver a estas mudanças?  Como diz o escritor Theodor Seuss Geisel, mais conhecido pelo pseudônimo Dr. Seuss, “não é sobre o que é, é sobre o que pode se tornar”. Trazendo a analogia para o momento atual, a Era Digital convida pessoas e negócios a este tipo de reinvenção, que impacta em seus modelos de trabalho, produtos, serviços e processos - inclusive na forma de identificar oportunidades de trabalho na crise.Este artigo reflete justamente sobre essa necessidade de “reciclar” sua empresa, com inovação aplicada.Pra reinventar sua empresa, é preciso inovaçãoTransformação Digital é muito mais que tecnologia, pois nos propõe uma nova realidade, toda conectada e com informações em tempo real.Partindo do princípio que o digital é algo muito mais amplo e envolve o ser humano com tecnologias trabalhando a seu favor, os negócios passam a incorporar cada vez mais o conceito de digital first.O consumidor pensa cada vez mais no digital como primeira opção (ainda mais neste período “teste”/pandemia, onde se experienciou que isso é possível), acaba por desenvolver um mindset ágil, no sentido de simplificar sua rotina com tecnologias úteis, integradas e acessíveis, desapegando das estruturas físicas.Portanto, se sua empresa quer vender para este novo consumidor, precisará falar sua língua. Por exemplo, abrir um site de e-commerce ou atendimento remoto pode parecer um importante passo nesse sentido. Porém, isso de nada adianta se o gestor não aprender como ser um bom líder na Era Digital, adquirindo habilidades digitais e tecnologias adequadas para conduzir essa loja virtual, por exemplo.Dicas para uma empresa se reinventar nos negóciosNa prática, para transformar seu negócio, no sentido e na rapidez que a Transformação Digital exige, é preciso levar em conta algumas ações, como:Fazer um benchmarking de mercado  Você precisa saber como fazer um benchmarking, pois através dele consegue descobrir o que os concorrentes estão fazendo, o que dá certo e o que nem tanto. Desta forma, pode adotar alguma estratégia similar que funcione na sua empresa.Falar com seu público-alvoEntreviste gente. Afinal, inovação é a tecnologia bem desenvolvida, executada e utilizada por seres humanos. Descubra quais problemas seu público-alvo tem e se realmente ele está satisfeito com seus produtos e serviços. Essas conversas podem trazer vários insights e ideias novas de aprimoramento.Conversar com fornecedores de tecnologia para o seu mercadoPergunte o que eles têm disponível para melhorar o seu negócio. Dependendo do seu ramo, ferramentas específicas podem otimizar o dia a dia dos processos, aumentar a produtividade e visibilidade das vendas, e, ainda, trazer resultados com mais rapidez. Buscar parceiros agreguem valor à sua marca Faça parceria colaborativa com outras empresas do ramo, com propósitos parecidos aos da sua marca e que forneçam serviços e produtos que agreguem aos seus. Assim, a sua marca fica mais sólida no segmento e seus clientes ganham em benefícios integrados.Seja agile - crie métricas e prazos Para aprimorar ou desenvolver novas soluções em seu negócio, utilize metodologias ágeis para acelerar o processo de implantação. O Scrum ou o Kanban são boas opções, pois têm o objetivo de reduzir o tempo de entrega de uma solução ou projeto.Tecnologia como aliada na transformação digitalEsta virada de chave pode parecer muito complexa mas, com um bom direcionamento e flexibilidade mental, reinventar seu negócio pode ser uma experiência incrível e lucrativa.Na Digital House, temos cinco cursos na área de Negócios que te ajudam nesse trabalho. Conheça cada um deles e adquira um mindset digital para tornar sua empresa mais adequada às transformações desta era.Aprenda professores especialistas de mercado e faça networking durante e após o curso. Entenda que tecnologia sozinha não faz transformação alguma. Conhecimento e a prática das habilidades digitais é que geram inovação e, consequentemente, prosperidade. 

Portfólio em UX Design: como montar um e ressaltar suas habilidades na área img
#UX

Portfólio em UX Design: como montar um e ressaltar suas habilidades na área

Como montar um portfólio de UX Design de encher os olhos de recrutadores e empresas? Essa vitrine virtual, onde os profissionais expõem seus trabalhos de forma visualmente elaborada, precisa representar a seleção dos seus melhores projetos. Um excelente portfólio age como a própria materialização de uma identidade profissional e, neste caso, uma imagem pode sim valer mais que muitas palavras. Acompanhe este artigo e tenha dicas de como deixar sua vitrine diferenciada e atrativa, além de conhecer ferramentas que te ajudarão na hora da divulgação. Criando um portfólio de UX Design encantador  Primeiro, vamos fazer o seguinte exercício - enxergar quem vai receber este seu portfólio como se fosse seu cliente, o usuário da sua criação visual. Pois bem, se sua profissão é baseada em técnicas e ações em Experiência do Usuário (UX), você precisa vender sua imagem muito bem, tornando esta experiência de valor, por meio da apresentação de um portfólio que responda objetivamente o que a empresa procura, sem perder o encanto.Embora a profissão de UX Designer que continua a crescer a todo vapor, com muitas oportunidades de UX no mercado, isso não anula a necessidade de apresentar um diferencial em relação aos demais candidatos a uma vaga. É ele que dará a você o poder de escolha pelo que realmente interessa e agrega as suas ambições e momento da carreira.Por falar em diferenciação, é essencial que se saiba a diferença prática de currículo e portfólio:Currículo: documento padronizado e pouco original;Portfólio: formato dedicado a demonstrar mais seu potencial em trabalhos já entregues.Ok, agora que você já entendeu a dinâmica do processo, mãos à obra. Organize os melhores trabalhos já realizados, ou seja, aqueles que realmente alcançaram o objetivo planejado e agrupe eles neste portfólio com criatividade e organização mental/visual.Estrutura de um portfólio UXNesta estrutura, pense sempre na maneira que tudo isso será apresentado. Lembre-se da jornada do passo a passo desta exposição para a empresa recrutadora. Essa elaboração pode significar a diferença entre uma rejeição ou a convocação para a próxima fase do processo da vaga.Como a área de UX Design possui um leque de habilidades e funções que podem ser relacionadas, outra dica é mostrar suas especialidades em cada contato com tarefas diferentes. Mencione funções novas em um projeto que participou, as soft skills que desenvolveu durante ele, ações em design de interface do usuário, conhecimentos em programação, a supervisão do desenvolvimento da web, entre outros.Porfolio UX: melhores dicas para montar o seuDemonstre excelente nível de profissionalismo e atenção aos detalhesVocê pode usar construtores de sites, como o Wix, mas, é bacana ter o cuidado de registrar um domínio próprio para enviar seu portfólio, com seu nome e sem anúncios ou banners desses sites. Acompanhe o artigo que, mais para frente, preparamos outras plataformas gratuitas que te ajudarão a criar seu portfólio mais personalizado.Conte sua história em cada projetoNão apresente só o resultado final do projeto, coloque explicações resumidas do trajeto que percorreu até chegar ao resultado final. Conte sua história. Afinal, storytelling e UX caminham juntas, não é mesmo?Para isso, esta estrutura pode funcionar: 1 - o problema a ser resolvido; 2 - áreas envolvidas no projeto; 3 - ferramentas utilizadas; 4 - o processo de superação do problema: wireframes lo-hi, protótipos, esboços, personas, jornadas de usuários e pesquisa; 5 - o que aconteceu depois da entrega.Transparência quanto ao seu nível de conhecimentoComo em qualquer área, quem está começando e quem já tem um tempo no mercado agregam de maneiras diferentes em uma empresa. Portanto, esta informação precisa estar clara em seu portfólio, para uma melhor análise do recrutador.Assim, na hora de fazer esse portfólio, se você é nível júnior, é aconselhável focar em projetos simulados, como o redesign do site atual de uma empresa, por exemplo. Neste caso, você vai trabalhar os problemas e situações reais dela e mostrar seu raciocínio e uso das metodologias teóricas para a melhoria dele.Designers sêniors podem trazer exemplos do trabalho de suas equipes em diferentes projetos, especificando as estratégias usadas, exposição de resultados finais etc.Agora, se o seu foco é UX Research, crie um portfólio que explore seus processos de análise, elaboração de personas, jornada dos usuários e todas as fases de descobertas que já tenha elaborado.+ Liderança em UX Design: conheça as principais qualidades deste gestor Qualidade e objetividade Na hora de selecionar quais projetos devem ser colocados no portfólio, escolha de dois a quatro que mais se enquadrem à cultura da empresa recrutadora e à vaga disponível. Para ir direto ao ponto e otimizar a vida do avaliador, estruture seu portfólio com navegação clara para os projetos, sub-rubricas e processos definidos, buscando explicar com exemplos cada etapa dos projetos citados (storytelling).Sites para montar seu portfólio de UXPara que tudo dê certo na hora da apresentação, você precisa criar esse portfólio em uma ferramenta mais adequada a sua identidade profissional. Separamos algumas delas, gratuitas, para te ajudar nesta tarefa.Carbonmade Simples e fácil de usar, no Carbonmade você cria usando templates prontos, com upload de imagens e textos. Para áudio e vídeo, é necessário assinar um dos planos pagos da plataforma. Com ele, seus projetos podem ficar separados em diferentes álbuns, com a opção de adicionar informações de contato, experiências anteriores e o que mais desejar.Cargo CollectiveO Cargo Collective permite ao usuário escolher entre mais de 30 opções de templates e, se você tiver conhecimentos de HTML e CSS, pode customizá-los. A ferramenta organiza os trabalhos em projetos, com a possibilidade de configurar slideshows e hospedar imagens na nuvem.BehanceNo Behance, você precisa do login de uma conta da Adobe. Nele,você cria portfólio com trabalhos em texto, imagens, vídeos, áudios e mini-currículo.Com ele, é possível dividir seu trabalho em projetos (ou álbuns) e colocar dentro todo o material relacionado a trabalhos específicos. CoroflotAlém de expor seu trabalho, com o Coroflot você tem como obter dados do tráfego de visitas no seu portfólio, além de acompanhar quais são seus trabalhos mais populares.WixNo Wix o usuário precisa ter conhecimento em programação. Mas, é simples de usar (todo em português) e oferece uma série de templates que se adequam a diferentes necessidades profissionais, com personalização. Por isso é importante saber programar.Na Digital House, os alunos do curso de UX , por meio do Programa de Apoio à Recolocação e as feiras exclusivas (Recruiting Day), têm a experiência de estar cara a cara com as empresas, entendendo, a partir de suas reais necessidades, como ter um portfólio assertivo e a desenvolver essa identidade profissional tão valorizada.